A culpa é das...Hormonas (e das pessoas) | #acarlinhavaisermãe

A culpa é das...Hormonas (e das pessoas) | #acarlinhavaisermãe

Só não anda informado quem não quer! Hoje em dia está tudo à distância de meia duzia de clicks, certo? CERTO!
Tal como vocês viram neste vídeo, também eu recorri às mais variadas aplicações para smartphones sobre gravidez. Principalmente no início, depois acabei por desistir da ideia. No entanto, sempre que eu falar em aplicações pensem que também podemos assumir o termo sites de gravidez/maternidade. É incrível a quantidade de informação que se encontra nestas fontes. Basicamente podemos saber de dia para dia como está a evoluir o crescimento da nossa criança, as alterações no nosso corpo, e até na nossa vida.
Uma vez ouvi: "O normal é correr bem!" por isso, nessas aplicações, além de nos informarem sobre as situações normais, também nos informam de coisas que poderão acontecer que fogem à normalidade.

Qual é o problema? É que a dada altura, as coisas passam a acontecer naturalmente porque assumem que a culpa é das hormonas! O problema é que estas aplicações/sites são usados e consultados a maioria das vezes apenas pelas grávidas e quando muito pelos pais do bebé... Raramente são usados por quem não está a atravessar uma gravidez.
Li que " Os altos e baixos no humor costumam ser mais pronunciados nas 12 primeiras semanas da gravidez. Eles tendem a diminuir à medida que seu corpo se adapta ao bombardeio hormonal a que é submetido. 
Mas no finalzinho da gravidez, com a ansiedade da aproximação da "hora H" do parto, as lágrimas podem voltar a ser suas companheiras fiéis."
Reparem bem que a culpa ou é das hormonas ou nossa que já não sabemos lidar com a ansiedade! 
No meu caso, eu não me senti chorona, nem impaciente nessas tais primeiras semanas, da mesma forma que não me sinto ansiosa por estar cada dia mais próximo de conhecer a minha Matilde! (Enquanto eu estiver relativamente confortável com ela dentro da barriga, sei que lá é o melhor sítio para ela estar.) Lembro-me que estive mais de 15 dias sem conseguir dormir mais do que 1hora por noite e isso se refletiu em cansaço extremo pois nunca deixei de trabalhar. Sei que essa foi a única fase em que queria paz e sossego, queria tirar sestas durante a tarde e toda a gente se lembrava de ligar, de tocar à campainha, de tentar marcar cenas para fazer, que essas cenas eram depois desmarcadas à última da hora e que o telefone tocava por tudo e por nada inclusive para me dizerem "ah não era pra ti que queria ligar!" Conseguem imaginar o meu pânico? Não, não conseguem! Vi-me obrigada a desligar o telemóvel, a pôr contactos na lista de rejeições, a responder a mensagens quando passassem mais de 48horas depois de recebidas. Vi-me obrigada a pôr umas reticências nas relações interpessoais quando a vontade era pôr alguns pontos finais!

E se eu vos disser que a culpa para a nossa falta de paciência não é só nossa, nem das nossas hormonas? É DAS PESSOAS em geral, quer estejam grávidas ou não!
Quantas vezes senti que estava a falar chinês?!
Quantas vezes senti que estava a explicar as coisas como se fosse uma simples soma de 2+2 ser igual a 4 e as pessoas insistirem comigo que era igual a 5 ou 7 ou zero?!
Quantas vezes revirei os olhos por já não ter mais hipóteses de explicar de forma simples aquilo que estava a dizer?!
Quantas vezes bufei por ter consciência que acabei de dizer "x coisa" e as pessoas voltavam-me a dizer coisas como se eu não tivesse dito "x coisa"!
Quantas vezes eu fiquei em silêncio só para evitar mais uma discussãozinha da treta que no fim se resume a ver quem tem razão?!


Bonito bonito era haver uma aplicação que dissesse que as pessoas simplesmente são parvas e estúpidas! 

Por favor não teimem com uma grávida! Já sabem que teimar com uma mulher pode levar qualquer um ao limite...quanto mais com uma grávida?! Respeitem se ela vos diz que está tudo bem! Lá por estar grávida não quer dizer que tenha de estar alguma coisa mal. Se ela não demonstra interesse em marcar qualquer coisa convosco é porque não tem mesmo interesse em estar convosco. Não adianta tentarem arranjar diferentes programas (desde um café, a uma ida às compras ou um passeio pela praia) provavelmente ela não quer a vossa companhia. Ah, e não apareçam só no último mês da gravidez à espera de serem reconhecidos como "a pessoa que mais ajudou e mais esteve presente"! Lembrem-se que nessa altura já está tudo pronto e que a única coisa que vocês vão fazer é impedir o descanso dela, vão destabilizar ainda mais o seu ritmo por isso, mantenham-se onde sempre estiveram...

(Não pensem que só escrevo em jeito de muro das lamentações, também já vos mostrei tanta coisinha boa da gravidez!)

Next PostNewer Post Previous PostOlder Post Home