The end / to be continued...

The end / to be continued...

Vou começar 2016 praticamente da mesma forma que acabei 2015: A falar de superstições e de tradições também!
À meia noite do dia 31 de Dezembro, enquanto vivia com os meus pais, era tradição subir a uma cadeira, pegar nas 12 uvas passas com uma mão, ter uma nota na outra mão e pensar em 12 desejos para o ano que estava a começar! Só depois é que se abria o champanhe, saltava-se para o chão com o pé direito e se davam os abraços de novo ano!

Quando me perguntava o porquê dessa tradição, apesar de não conseguir encontrar lógicas, achava que nunca ia deixar de o fazer porque diziam os mais velhos que era assim que o ano ia ser bom e a única lógica para passar o ano com a mão em dinheiro era para que ele nunca faltasse!

Durante anos e anos que foi assim, até ir passar o ano pela primeira vez com o meu namorado e com a família dele! Lá não se subiam cadeiras, lá não se preocupavam em segurar em dinheiro, lá não se saltava com o pé direito e quando as 12 badaladas soavam a primeira coisa que se ouvia eram taças de champanhe a baterem umas nas outras, aqueles desejos de "Feliz Ano Novo a todos", abraços, beijinhos e sorrisos!
Vocês sabem que sou supersticiosa:
Não ofereço meias, nem aceito que me ofereçam meias;
Acredito no Karma e no ditado "Quem semeia ventos, colhe tempestades" e no "Quem mal anda, mal acaba";
Não deixo dinheiro em cima da mesa e quando alguém deixa arrumo-o para cima do balcão, ou ponho-o noutro sítio qualquer;
Não faço mudanças em Novembro;
Passo o ano com dinheiro em todo o lado: na carteira, em casa, na conta bancária, e se possível, comigo (nem que seja num bolso);
Não passo o ano de pijama;
Mesmo que não esteja a usar nenhuma peça de roupa nova, uso a mais bonitinha ou que me faça sentir bem comigo própria;
Não me imagino a passar o ano na rua;
Posso não ir ao cabeleireiro, mas arranjo sempre o cabelo;

E agora espantem-se com estas:

Este ano esqueci-me de aplicar Baton depois do jantar/antes da meia noite e passei o ano de cabelo apanhado numa mola daquelas que usamos para nos ajudar enquanto esticamos o cabelo!

Não peço 12 desejos à meia noite!!! Desde que comecei a passar os anos com ele e com a nossa família que o que passou a importar foi fazer alguns desejos! Confesso que não os conto e acho que até já me "sinto velha" ao desejar saúde e esse tipo de coisas! (Quando era criança achava que isso não fazia sentido nenhum...)
Deixei de pensar em 12 desejos porque aquilo que queremos no dia 31 de Dezembro podemos já não querer a meio de Janeiro ou a meio do ano! E depois porque passei anos a esquecer-me do que tinha desejado no ano anterior ou, na altura do balanço, não me lembrar se o que tinha desejado se tinha concretizado ou não! Sou mesmo trenga eu sei!
Mas há coisas que não consigo mudar!
Quais são as vossas tradições/superstições de ano Novo?
Feliz ano de 2016!
Next PostNewer Post Previous PostOlder Post Home