Este não é sobre artigos de decoração do quarto da Matilde, mas tenho a certeza que vai ter utilidade para quem está prestes a conhecer o mundo da maternidade ou para quem ainda está na fase de pensar nisso!

Para quem me disse que ter um filho não fica assim tão caro...Eu só posso dizer que se ouvirem isso da boca de mais alguém... claramente essa pessoa se encontra numa das seguintes posições:
1ª é mentirosa
2ª ganha mais do que vocês
3ª não teve de gastar dinheiro com nada e teve tudo dado.

Eu acho que ter um filho custa muito dinheiro! Principalmente se for o 1º filho, principalmente se não houver mais crianças na família e principalmente se vocês forem freelancers! Mas não é sobre dinheiro que eu vos venho falar hoje. Quer dizer, não é SÓ sobre dinheiro. A minha opinião é a mesma desde os tempos em que eu não pensava sequer ser mãe! É TUDO UMA QUESTÃO DE NEGÓCIO!

À medida que íamos preenchendo a checklist dos items essenciais (atenção que só estou a falar dos ESSENCIAIS e INDISPENSÁVEIS) íamos tendo pequenos AVC's cada vez que se chegava ao momento de pagar ou até antes disso mesmo se realizar. As coisas só por serem para bebés parece que têm uma taxa qualquer incluída sem dizerem nada a ninguém, quase como se fosse um "consumo mínimo obrigatório". E cada vez que se falava em saúde ou segurança da criança essa taxa era cada vez maior. Eu fartei-me de ler e ver vídeos sobre a maternidade e sobre enxovais indispensáveis e sobre produtos que não valeram o dinheiro ou não tiveram assim tanto uso.

Foi aí que cheguei a este termómetro.


Ele foi falado como uma das coisas mais usadas a todo o momento. Seja na criança para saber se ela tem febre, seja na comida para saber se está demasiado fria ou na água do banho para saber se já está no ponto.  Um termómetro que não é preciso encostar em lado nenhum e que rapidamente nos dá a conhecer a temperatura de tudo.

E agora vamos falar de dinheiro.
Todos aqueles (deste género) que encontrei em lojas físicas custavam acima dos 50€. O que nós encomendamos aqui, ficou-nos por 11.85€, com portes gratuitos, correio registado e em 2 semanas estava na nossa casa!

O Aliexpress passou a ser uma espécie de "kuantokusta" e sempre que havia algo indispensável para ser comprado íamos lá comparar os preços. Posso adiantar-vos que não foi a nossa única compra.
Querem que continue a partilhar estes achados?
 
 Eu sou assumidamente a viciada em máscara de pestanas! Não vou negar que as minhas favoritas são as que dão o maior volume possível, mas nestes últimos tempos em que tenho feito maquilhagens bem simples, uma máscara que curve bem e alongue sem sujar a pálpebra também tem sido bem vinda cá por casa!

Por isso, as máscaras da Quem disse, berenice? têm sido postas à prova! Acreditam que a minha favorita tem sido mesmo a de alongamento?

A amarelinha de volume é muito semelhante a uma da Gosh! Faz um bom trabalho e cumpre o que diz. Talvez, se a fórmula dela ficar um pouquinho mais espessa, eu passe a gostar mais. Para já ainda a acho muito fluída o que faz com que eu precise de perder um pouquinho mais de tempo a trabalhá-la com algumas camadas para chegar ao resultado a que estou habituada.

Já a verdinha de alongamento tem uma escova maravilhosa que faz com que as pestanas fiquem bem separadinhas e bem compridas! Esta é a única máscara resistente à água, por isso também não borrata nada e tem mesmo de ser retirada com desmaquilhante (de preferência com óleo). É engraçado porque quando me estou a desmaquilhar ela vai saindo em pequenas camadas, como se fossem umas lascas. Assim sabemos mesmo se saiu tudo ou não.

A roxinha do "tudo em um" deixou-me um bocadinho sem reação. Estava à espera de mais, de muito mais! Atenção: elá não é má! Eu é que estou habituada a fórmulas com grande impacto numa só aplicação e com esta não notei isso. É verdade que também estou habituada a máscaras que, provavelmente, uma só custa o que estas 3 juntas custam. Mas também já experimentei máscaras bem baratas (encontrei a minha máscara favorita a 2.99€ num site) que fazem bons resultados.



 Qual a vossa máscara preferida do momento?
No meio desta coisa toda que uma pessoa vai vivendo a que se chama gravidez, há coisas que vão acontecendo à nossa volta e que nos deixam a pensar. Pelo menos a mim deixaram. Num dos primeiros vídeos que fiz sobre o assunto disse que a minha "maior preocupação" era ter o mínimo de preocupações. Queria ser uma mãe descontraída, usufruir daquilo que é suposto ser uma benção e um dos momentos mais felizes da nossa vida.
No meio das atualizações do feed dos meus amigos, de quem vai partilhando histórias sobre ser-se mãe, já sabia que o futuro bebé (depois de nascer) ia ser o centro das atenções.
Já me estava a preparar para que me começassem a chamar "Mãe da Matilde" em vez de "Carla", já sabia que os "Olá, tudo bem?" iam passar a ser: "Então e a bebé?", já estava a contar com isso tudo mas não me estava a preocupar nada com isso! Interiorizei que faz parte e que provavelmente sempre foi assim!
Contudo, nunca pensei que as pessoas pudessem ser tão insensíveis durante o período em que a mãe está grávida. Nunca pensei que a "perda de identidade" pudesse ser tão precoce e que a criança pudesse "roubar" as atenções tão cedo.

Talvez devido ao grande atraso no meu despertador maternal, ou da minha pouca apetência e paixão por crianças ou até porque no meu círculo de amigos o tema "maternidade/paternidade" demorou a chegar eu sei que nunca fui assim: "Como está o bebé?" antes ou, pior que isso, em vez de "Como está a mãe?".
O facto de estar a escrever sobre este assunto não se deve só ao ter vivido isto, mas por perceber que é uma realidade tão frequente na vida de tantas grávidas. Ao escrever sobre isto, espero que estas coisas deixem de ser tão visíveis, no fundo isto é uma chamada de atenção se quiserem ver as coisas desta forma.

As pessoas não questionam se a mãe está bem, se a mãe precisa de alguma coisa, de algum cuidado extra ou até de mimo. (E não me venham dizer que mimo é o que as pré-mamãs mais têm porque não é!) Independentemente de ser ou não uma gravidez aparentemente normal e sem complicações, independentemente de ser ou não a primeira gravidez...percebi que cada gravidez é uma gravidez. Aquilo pelo que passamos durante estes meses, por muito normal que seja, deixa marcas... (e não estou a falar das estrias)... deixa marcas na nossa memória para sempre.

Toda a gente quer saber como correu a consulta ou a ecografia. Mas o que é que perguntam?:
 "Então e o que é que médico disse sobre o bebé?"
"Está tudo bem com ele?"
"Já sabes o sexo?"
"Quanto pesa?"
"Tem quantas semanas?"
"Nasce quando?"

Esquecem-se de perguntar:
"Então e tu como estás?"
"Tens-te sentido bem?"
"Precisas de alguma coisa que eu possa ajudar?"

Pode haver coisas que nem vocês, nem ninguém possa fazer, mas só por terem 2 ouvidos e 1 boca pode ser suficiente para uns momentos em que mamã possa falar, desabafar ou até tirar algumas dúvidas e peso de cima dos seus ombros.

Lembrem-se que o bem estar da mãe é essencial para o bem estar da criança! Pensem duas vezes antes de fazerem conversa de circunstância. Se não estão interessados então nem questionem. Mas se são próximos e se realmente querem continuar a ser... então deixem de ser insensíveis!
Eu confesso que adoro fazer máscaras de hidratação de rosto, mas raramente as faço em casa! Com a correria do dia-a-dia às vezes esqueço-me. (Ou isso, ou pela figura que se faz em frente à cara metade!)

Então, aproveito sempre que vou passar noites fora para me mimar. Além do mais é uma excelente forma de ocupar o tempo que passamos no hotel. Enquanto se enche a banheira para um banho relaxado (que em casa é só duche) dá tempo para aplicar todos os produtos de limpeza e mais alguns no rosto. Depois é só deixar atuar as máscaras de hidratação e saborear o momento!

Já vos falei aqui que recebi produtos da Artistry para testar e foi na minha última viagem do ano que aproveitei os ares algarvios para testar a máscara Hydra-V. É daquelas máscaras de tecido que vem num pacotinho embebidas em produto. Temos todos os buraquinhos necessários para conseguirmos respirar, falar e ver (se bem que alguns não são suficientemente grandes e acabam por incomodar um pouquinho) mas se pensarmos em estar quietinhas em saborear estes momentos de pura descontração até nos esquecemos disso.




Eu sou daquelas que deixa as máscaras de hidratação atuar por mais do que o tempo aconselhado! Se na embalagem diz para deixar atuar por 10 ou 15 minutos eu vou usar por 20 minutos a meia hora porque, no fim de contas, hidratação nunca é de mais, certo? E foi o que fiz. Dei uma à Dora e outra usei-a eu e no dia seguinte, quando nos encontramos para o pequeno almoço só dizíamos: "Aquela máscara é espetacular! Deixou a pele tão macia e tão luminosa!!!"
Claro que depois desta experiência tão boa já não queremos saber da preguiça nem das figuras que fazemos com isto no rosto, pois só dá vontade de fazer mais e mais! E acreditem que vale bem a pena!
Na gravidez acontecem coisas estranhas!
Ainda não sabia que estava grávida e parecia uma teenager com a cara em obras. Só costumava ter borbulhas no queixo e, a dada altura, tinha borbulhas na testa, no nariz, nas maçãs do rosto, no pescoço e até nas costas! Valeu-me o óleo de Tea tree (que se antes era cliente assídua passei a ser obececada por ele).

Enjoos matinais apenas nos primeiros 3 meses? Naaaaa! Já que é para se ter enjoos, não podem ser SÓ matinais! Eu tinha (ou devo dizer "ainda tenho") enjoos de manhã, a meio da manhã, à hora de almoço, à hora do lanche, sem ser hora de comer, tanto vale ser antes ou depois de jantar ou até antes de dormir. Podia ser só aquela sensação de enjoo que não nos apetece comer nada, que parece que o estômago está sensível e qualquer coisinha que lá caia não vai fazer bem mas... comigo tem de ser diferente. Eu enjoo com comida, sem comida, com cheiros, sem cheiros, antes ou depois de comer e, como se não bastasse, ainda tenho de vomitar. Mesmo que esteja em jejum! Descobri que não posso beber água em jejum pois até essa sai disparada sem eu ter tempo para chegar à casa de banho. Continuo a tomar Nausefe até ao último dia para me conseguir aguentar e não vomitar por tudo e por nada.

As unhas crescem como se não houvesse amanhã! Deve ser por causa dos suplementos (ácido fólico e iodo) que tomo diariamente. Elas crescem tão rápido e tão fortes que se no início ficava contente com isso, agora com esta barriga enorme já não acho que seja assim tão benéfico pois tenho de me posicionar de forma estranha para conseguir cortar as dos pés.

Também há coisas engraçadas: Sentir o bebé a mexer é das sensações mais estranhas e engraçadas ao mesmo tempo (até certa altura)! Nas primeiras vezes sentia umas cócegas, depois essa sensação foi aumentando a intensidade e a velocidade também. Cheguei a dizer que a Matilde deve ter aprendido a dança da Maria Leal porque aquelas batidinhas começavam do lado direito e só terminavam quando ela chegasse ao lado esquerdo. Também achei que tinha um trampolim lá dentro porque às vezes parecia que ela andava aos saltos e também acho que ela deve ter tido algumas aulas de yoga e pilates no seu condomínio de luxo que é a minha barriga, pois há cada esticão que acredito piamente que esteja a treinar algumas posições muito estranhas e cheias de alongamentos.Toda a gente diz que tudo isto deixa saudades por isso confesso que também já usei algumas técnicas para a provocar e fazer com que se mexesse mesmo que essa não fosse a sua vontade. Comi coisas mais doces, mais frias, puxava a corda ao Sebastião e até abanei a barriga só para ver se ela reagia. A partir do 8º mês, já há certas atividades que ela pratica lá dentro que eu confesso que já não acho tanta piada. Ninguém gosta de ter um pé enfiado numa costela durante horas a exercer pressão suficiente que até custe respirar, certo?

E dores estranhas? A partir do 6º mês de gravidez comecei a sentir dores por dentro da barriga. Há pessoas que sempre conseguiram distinguir dores de estômago das dores dos rins ou da vesícula ou doutra coisa qualquer que doesse. Eu nunca fui essa pessoa. Eu consigo dizer apenas: "dói-me aqui!" (e já não é nada mau, pois consigo apontar com os dedos com bastante precisão!) Com a gravidez comecei a perceber que até a pele pode doer. É muito estranho, mas a verdade é que para mim doer a pele é uma sensação de parece que a barriga vai rasgando de dentro para fora só que sem nunca se ver por fora. Uma dor constante, às vezes até uma sensação de ardor. Até à data nem uma estria e já vos disse aqui o que usei.

Também já sei o que é não ter posição nem para estar a escrever este post, que à partida, a única coisa que teria de fazer era sentar-me com as costas direitas. Pois acreditem que para escrever este post já estive sentada à mesa, já me levantei pois não conseguia respirar, peguei numa almofada e pus atrás das costas, levantei-me novamente, sentei-me no sofá e mesmo assim, neste momento já estou a escrevê-lo através do telemóvel deitada de lado no sofá. Provavelmente, se isto continuar assim, ou volto para a mesa ou termino-o na cama cheia de almofadas nas costas, na cabeça, na barriga e entre as pernas.

E se acham tudo isto um filme por causa dum post no blog, imaginem durante a noite em que supostamente devia dormir e descansar. Desde o 4º mês que não consigo dormir uma noite inteira seguidinha. Ao quarto mês acordava / levantava-me 1 vez para ir fazer xixi. A partir do 6º passei a acordar mais 1 ou 2 vezes também para ir fazer xixi. A partir do 7º deixei de contar. Sei que acordo para ir à casa de banho não sei quantas vezes, às vezes acordo para comer qualquer coisa porque me dá a fome. Acordo porque tenho calor e acordo para me virar dum lado para o outro e então tenho de reposicionar as almofadas todas de cada vez que me mexo!

Também aprendi a caminhar como o Humty Dumpty (mesmo que inconscientemente)! Também precisei de ajuda para me levantar do sofá ou da cama como ele. Atentem o segundo 00:33 do vídeo.
Também seguro as costas se estiver muito tempo em pé, fazendo com que a barriga vá mais para a frente. Demoro o dobro do tempo a subir as escadas do meu prédio e quase que fico sem fôlego. Deixo cair as coisas das mãos e quando me baixo para as apanhar, sinto imensa dificuldade em subir novamente para o meu metro e setenta e três centímetros. Continuo a vestir o mesmo tamanho de calças (pelo menos por enquanto) mas reduzi as hipóteses às calças de cintura descida para as conseguir apertar. As camisolas que tinha parecem crop tops por causa do meu pipo e então comprei camisolas e camisas de tamanhos gigantes, os vestidos curtos passaram a ser túnicas ou camisolas, os vestidos compridos passaram a ser midi e os casacos apenas servem para agasalhar os ombros e as mamas, pois a barriga fica completamente de fora. Com isto tudo deixei de gostar de ir às compras para mim. é horrível pensar que se veste um determinado nº e chegar à loja e ter de experimentar tudo para ter a certeza que no dia seguinte tenho roupa para vestir. Passei a evitar calçado com cordões ou então que desse para calçar e descalçar sem ter de me baixar. Passei a andar sempre com comida atrás e já só penso no dia em que não tiver de comer tostas integrais ao pequeno almoço, nem entre as refeições, nem antes de ir prá cama! Sei o que é estar exausta sem fazer nada. Se antes não dispensava o uso de base, agora não dispenso o uso do corretor (ou então dispenso tudo e nem sequer me maquilho)! Penso duas vezes antes de me enfiar num super mercado ou num Shopping: As novas regras de prioridade de atendimento são muito giras, mas continua a não haver bom senso por parte dos outros cidadãos. Todos eles devem ter recebido umas talas no natal que faz com que eles "não vejam" que estou grávida. Inclusive, fui ao continente do Norteshopping, dirigi-me a uma caixa EXCLUSIVA a grávidas e a funcionária fez questão de me dizer: "Esta caixa é exclusiva a grávidas!!!" com um tom como se não me fosse atender. A que eu tive de responder: "Eu sei, por isso é que cá estou!" e ainda tive de exibir ainda mais a barriga para o caso de ela não ser evidente mesmo estando cada vez mais próximo do 9º mês!
Podia até falar da falta de paciência para certas e determinadas coisas...mas isso vou deixar para outro(s) posts)!

Contem-me as vossas experiências mais estranhas durante a gravidez.
Por falar em coisas para a Matilde, não podiam faltar aqui por este blog os cuidados básicos a ter com ela com a sua pele! Eu que sou muito decidida com os produtos que escolho para mim, quando o assunto é pele de bebé eu não me conseguia decidir. Sempre que falava com as já mamãs sobre os produtos que usavam nos seus filhotes ouvia de tudo e mais alguma coisa, ouvia falar bem (e mal) de todas as marcas que existem no mercado, ouvia falar sobre peles atópicas, sobre irritações, sensibilidades e eu cada vez ficava mais confusa!

Também me disseram para aceitar as amostras que dão nos centros de saúde e na maternidade ou até para pedir nas farmácias, mas eu deixava-me estar quieta no meu canto e sossegadita. Até que a minha amiga Vera (já vos falei dela várias vezes aqui) decidiu presentear a Matilde com os produtos da Bioderma. Problema resolvido. Bioderma era uma marca que, como vocês sabem, já usava em mim por isso tem a minha total confiança.

O presente era enorme! Vinha em conjunto com um saco que me parece ser bastante prático pelas divisões que tem tanto por dentro como por fora e que vocês podem encontrar à venda em farmácias, parafarmácias e online (aqui).

Eu ainda nem sequer sei mudar uma fralda e poucas vezes dei colo a bebés, mas já consegui perceber para que serve cada produto!  \o/ \o/ \o/ \o/ yeaaaahhhhh \o/ \o/ \o/ \o/ 

Assim muito por alto, a solução micelar de limpeza serve para limpar o rosto da criança e algumas partes mais "resguardadas" do corpo.

Gel Moussant no fundo é um gel de banho formulado para a pele e cabelo do bebé. Não faz arder os olhos e amacia os cabelos.

Depois temos o Leite Hidratante que (pode ser utilizado no rosto e no corpo) hidrata, protege e suaviza até as peles mais sensíveis.
Para o rosto do bebé a Bioderma oferece-nos neste kit o Cold Cream que para além de hidratar tem como principal função proteger a pele seca a muito seca das agressões externas como o frio, vento, água calcária, calor...
Claro que tinha de haver o creme para a muda da fralda e das assaduras: Change intensif. Uma pasta de água rica em óxido de zinco fácil de espalhar, sem perfume e não gordurosa. Suponho que este seja o melhor amigo dos nossos bebés e das mães.


Quando os puser a uso deixo-vos o meu feedback. Para já o que posso fazer é pedir-vos o vosso! Já usaram estes produtos?O que acharam?
 Já imensa gente me perguntou como está o quarto da Matilde... o que falta comprar, como está a decoração, onde comprei certas coisas... Há sempre mil e uma perguntas que se podem fazer sobre o quarto de um bebé!
Por isso mesmo, eu decidi partilhar convosco tudo sobre algumas das coisas que fui adquirindo.

Primeiro é importante dizer-vos que eu não aprecio aqueles típicos quartos de bebé com autocolantes nas paredes ou cheios de desenhos infantis. Eu sempre pensei no quarto da Matilde como "O quarto da Matilde" e não como "O quarto da bebé". Por isso mesmo, as paredes ficaram sem bonecada! À exceção do berço, tudo o que está na decoração do quarto é válido para quando a Matilde tiver 1 mês, 1 ano ou uma década!

Juntei "a fome à vontade de comer" que é como quem diz, aproveitei a desculpa de ter de decorar o quarto dela para mandar vir uma Light Box cá para casa! (Se não ficasse no quarto, provavelmente ficava na entrada ou na sala.) Já tinha visto imensas no AliExpress mas eram todas pretas e brancas com as letras pretas e demoravam imenso tempo a chegar. Não que me importasse com a cor, mas...já que era para o quarto de uma criança, podia ter um pouquinho mais de piada! Então comecei à procura de outras cores e encontrei no site da loja Pop The Bubble. Esta loja é uma perdição no que toca a... TUDO! Dá vontade de ter tudo e o nosso lado infantil vem efetivamente ao de cima. Mas adiante. Em relação a caixa de luz, havia em 4 cores e eu optei pela verde menta. Pode ficar pousada numa prateleira/ móvel ou pendurada na parede e já vem com um conjunto de letras e símbolos incluidos. Para tornar o ambiente ainda mais infantil, encomendei também um pack de letras e símbolos coloridos. Funciona a pilhas ou com um adaptador elétrico, mas tanto uma opção como a outra são vendidas em separado. Como eu tinha as duas opções cá em casa não tive de gastar mais dinheiro.

A entrega foi feita em menos de 48horas e vinha tudo muito bem embalado e cheio de carinho com uma mensagem personalizada e ainda um código de desconto para futuras compras. Depois é só dar asas à imaginação e ir mudando as frases para o que acharmos mais apropriado na altura.



Em Janeiro deste ano mudei de casa (outra vez)! Dizem que "Quem muda, Deus ajuda!" e eu acho que sim...que ajudou! (Apercebi-me que em 3 anos voltei a mudar de casa e de cidade sempre na altura da viragem do ano. Saí de Estarreja para Leiria, de Leiria para Estarreja, de Estarreja para Espinho e agora acho que é de vez! Pelo menos este ano não ando com caixotes nem com obras em casa.) 
O primeiro semestre foi marcado por atividades e eventos maravilhosos. Conheci pessoas fantásticas que continuam a fazer parte da minha vida. Trabalhei com profissionais que não conhecia mas que se revelaram excelentes profissionais pelos quais tenho imensa admiração e consideração e continuei a trabalhar naquilo que mais gosto que mais me faz feliz!


No verão partilhei convosco a notícia que mudou/vai mudar a minha vida para sempre! Foi o verão em que mais trabalhei, a um ritmo alucinante, sem pausas, com imensos Kms e conheci imensas caras que normalmente estão desse lado dos ecrãs e que lá vão demonstrando carinho (e outras que só demonstraram presencialmente).


E se depois do verão o ritmo de trabalho costuma abrandar, eu cá não tive quebras e continuei numa "roda viva"! Continuei com as Noivas de Outono e com as ações e eventos das marcas que mais gosto. Tive tempo para isso e para ir registando a gravidez em fotos e lembranças que vão ficar para sempre. Dei imensos Workshops de maquilhagem e este foi o Dezembro em que mais trabalho tive quando normalmente é um mês mais paradote. Este ano em vez de ouvir vezes sem conta "Feliz Natal e Bom ano" ouvi "Desejo-lhe uma horinha pequenina" e essa horinha está cada vez mais perto! Trabalhei como sempre até ao último dia do ano e nem esta barrigona me fez parar nem um bocadinho.

Como vem sendo hábito, é altura de agradecimentos! Mas não são aqueles agradecimentos triviais... é mesmo aquela sensação de gratidão, mesmo pura! São as pessoas que nos fazem crescer e que nos proporcionam os momentos e experiênciais mais inesquecíveis e é por isso que eu estou grata. Grata por todas as pessoas que em algum momento se cruzaram comigo, mesmo aquelas que me fizeram desesperar, passar-me dos carretos, revirar os olhos e contar até 3 (até 10 era muito complicado), pois até com elas eu cresci um pouquinho mais!
Agora é tempo de dizer: Bom Ano e Obrigada por tudo!
 
O primeiro produto que peguei ainda no evento foi um pincel de base denso e super macio. Ups! Se calhar não é bem um pincel de base.

Tendo em conta o que vos disse anteriormente, sobre contrariar as regras da maquilhagem e simplificá-las, talvez seja melhor dizer que peguei num pincel de topo reto, denso, macio e suave, que a meu ver é ótimo para aplicar base. Mas também, devo dizer que tem sido maravilhoso aplicar pó compacto com ele. Apesar de agora no inverno não sentir tanta necessidade de aplicar pó por cima da base, há quase sempre essa rotina pelo menos no queixo e no nariz.
Por isso, está mesmo mais que provado que não há mesmo regras nisto da maquilhagem.

Já o lavei e ele comportou-se na perfeição. Não largou cerdas, não ficou com formas estranhas...está como novo!



Brevemente vou-vos falando dos outros pinceis que vinham naquela caixa maravilhosa, curiosos?
Sabiam que a "Artistry está entre as dez marcas de cosméticos premium mais vendidas no mundo"? Eu confesso: não fazia ideia! Já tinha ouvido falar mas como não tinha nenhum ponto de venda por perto deixei-a ficar junto de todas as outras marcas que não consigo experimentar.
Até que me enviaram um cabaz de produtos para eu testar.
Antes de tudo devo dizer que a julgar pela aparência dos produtos eu não ia gostar. Sabem aquela sensação que as embalagens nos transmitem? Ok que até tem apontamentos bonitos e elegantes por terem
caixas douradas e todas bonitinhas, mas a verdade é que nota-se bem que é tudo plástico. Por outro lado, no packaging preto brilhante e elegante houve uma coisa que chamou a minha atenção e me deixou muito desconfiada: Na descrição do produto/ingredientes e modo de aplicação, para além do inglês, só conseguia ver carateres chineses ou japoneses ou lá que idioma aquilo tem. Isso deixou-me com a "pulga atrás da orelha" e lá fui eu mais uma vez investigar.

O que mais me surpreendeu ao utilizar estes produtos foi a durabilidade dos produtos. A base de cobertura média/alta e de longa duração é, na minha opinião, bastante semelhante à tão famosa Double Wear da Estée Lauder, mas com um acabamento ligeiramente mais luminoso. O eyeliner líquido na cor plumberry é super fácil de aplicar, pois o seu aplicador é mesmo preciso e ao mesmo tempo bem firme. Tem partículas luminosas que em alguns momentos até parece que tem purpurina. Achei-o maravilhoso para estas festividades, não transfere, não derrete e só sai com desmaquilhante. As sombras, tanto cremosas como em pó têm acabamentos mesmo bonitos e são muito fáceis de aplicar e de esfumar.


Para estas festas, deixei de lado os típicos vermelhos e apostei em maquilhagens bem iluminadas e em tons de roxo. Deixei de lado os típicos olhos esfumados e matei saudades do eyeliner afiado e colorido. Maçãs do rosto cheias de luz e, como estava e ainda estou doente, apostei em lábios apenas com brilho.





Contem-me o que têm planeado para o fim de ano! Já definiram a paleta de cores?
Já vos tinha dito aqui que sou daquelas sortudas que tem oportunidade de fazer várias sessões fotográficas enquanto grávida.
Para esta segunda sessão, desta vez com o fotógrafo Tiago Silva, optei por um registo diferente e levei o Luis comigo. Tivemos de adiar a sessão algumas vezes porque o São Pedro não estava a colaborar e foi então que fui procurando outras alternativas aos ambientes abertos. Depois de breves presquisas pelo pinterest de sessões com fundos mais acolhedores eis que surge o  Porto River em plena zona ribeirinha e que nos permitiu algumas das minhas fotos preferidas.
Ao longo deste dia não faltaram as fotos típicas dos sapatinhos, da barrigona e ainda a algumas palhaçadas. Tal como vos disse da outra vez, é mesmo muito importante estarem à vontade com o fotógrafo! Não tenham medo de fazer caretas, de aparvalharem de vez em quando e tentem não ficar "especados" e contraídos cada vez que ele levanta a câmara. Aproveitem estes momentos para namorar: afinal de contas estão a ter duas sessões numa só! (",)








 





 





 



 
 




   






 
Agora estou indecisa sobre quais imprimir para pôr no quartinho da Matilde. Alguém ajuda a escolher?
Fotografia: Tiago Silva
Local (fotos de interiores): Porto River

Previous PostOlder Posts Home